Hora de mudar o jogo: alimentação adulta e hábitos saudáveis

Nenhum comentário
A idade adulta inicia-se a partir de 18 anos de idade. Para a lei, é a fase em que a pessoa possui capacidade de executar algumas atividades como votar, contrair obrigações e ser responsabilizado por seus atos, ou seja, é a idade caracterizada como de amadurecimento legal. Como os hábitos alimentares e de atividade física adquiridos na infância e na adolescência tendem a permanecer na vida adulta, é de fundamental importância que as crianças e os adolescentes sejam orientados a possuírem uma alimentação saudável, a fim de que essa possa ser mantida na vida adulta.
Entende-se que esse processo de orientação começa na escola. Nessa fase, é muito importante que os adultos continuem com uma alimentação saudável para evitar doenças no futuro. Além disso, o adulto é responsável pela formação dos hábitos alimentares das crianças e pela compra e preparo dos alimentos em casa, transmitindo seus hábitos alimentares às crianças. Por isso, é importante que a família seja orientada sobre o significado da alimentação saudável.
Com todas essas considerações, percebemos que a alimentação saudável é muito importante em todas as fases da vida. Nunca é tarde para iniciar e colocar hábitos saudáveis de alimentação em prática. O ideal é que eles existam desde cedo, mas as mudanças na saúde de indivíduos adultos, que melhoram seus hábitos alimentares, também são notáveis. Essa melhora pode ser uma forma de prevenir o surgimento de doenças que estão relacionadas a uma alimentação inadequada.

Afinal, como se alimentar melhor?

Se você acredita que seus hábitos alimentares não são os mais saudáveis possíveis, procure a orientação de uma nutricionista. A reeducação aliementar não é uma dieta, como muitos acreditam, mas sim uma forma de olhar para sua alimentação e entender como ela pode ser melhor e mais saudável. Uma outra dica para você começar a pensar em como melhorar sua alimentação é o Guia Alimentar para a População Brasileira, do Ministério da Saúde. Já publicamos aqui no blog da Hortie alguns textos sobre esse guia, inclusive com um guia de 10 passos para tornar sua alimentação mais saudável.
Sabemos que o tempo, hoje em dia, é um fator limitante para hábitos saudáveis. Se você tem filhos, deve estar fazendo uma cara de “E como o tempo é limitante!!!!”, não está? Independente disso, nossa rotina é muito agitada, principalmente quando moramos em grandes cidades, como São Paulo (SP). O deslocamento entre casa e trabalho já não é fácil e a depender de seus horários, ele beira o complicado, quase impossível, concorda? Entre tantas idas e vindas, nossa alimentação e nossa saúde é quem paga o preço.
Em cenários corridos e quase caóticos como esse, o planejamento será seu melhor aliado. E acredite, não é uma missão impossível, não. Quer ver? Vamos dar algumas dicas, mas reforçamos que o acompanhamento com um profissional é sempre indispensável.

1) O que você gosta e gostaria de comer?

legumes-hortie

Não sei você, mas eu sempre tive um pouquinho de resistência em comer salada. No começo desse texto, de autoria do Ministério da Educação (2009), é reforçado que os hábitos alimentares da infância e da adolescência moldam nossa vida adulta. Pois é… não comi muita salada nessas duas fases, não. Inclusive lembro de um dia provar beterrava e sentir um enjoo muito forte. A aversão era forte, mas nunca parei para pensar no porquê.
Depois de vários anos e principalmente depois de começar a ler mais sobre o assunto, resolvi apostar em pratos mais saudáveis. “Se tanta gente gosta de salada, por que eu também não posso gostar?” Eu queria mesmo é comer mais verduras e legumes e fazer delas as estrelas de minhas refeições. Também resolvi que comeria mais purê, menos carnes e muito mais frutas do que estava habituado. Foi uma decisão pautada na questão da saúde: com 32 anos não posso continuar abusando desse corpinho por muito mais tempo. Era hora de mudar o jogo.
E você? De todas as delícias saudáveis que há por aí, o que você gostaria de consumir mais?

2)  Planejar as compras é fundamental.

A pergunta aqui é óbvia: Como é que você vai consumir mais saladas, frutas e legumes se não tem eles disponíveis na geladeira na hora que precisa?
Para conseguir comer as frutas, legumes e verduras que você gosta é preciso tê-las em casa. Claro que você pode recorrer a um restaurante self-service durante o horário de trabalho, porém, e o tempo que você passa em casa?
Então, para resolver este problema, vou te dar uma dica: #FazHortie. Minha intenção não é só fazer propaganda não, ok? O fato é que o serviço da Hortie pode te ajudar, e muito, a manter uma alimentação saudável.
Se você já respondeu a pergunta do ponto anteiror, sobre o que você gostaria (ou precisa) comer mais, fica fácil. Vou usar minha experiência para te ajudar a encontrar a sua.
Quando eu resolvi que queria consumir mais verduras, frutas e legumes, parei para elencar o que eu gostava de consumir e o que eu poderia acrescentar no meu cardápio. Fiz a seguinte lista: beterraba (sim, hoje eu amo ela!), brócolis ninja, rúcula, alface, lentilha, milho verde, ervilha, ervilha torta, batata doce, mandioquinha, alho poró, salsa e cebolinha, pimenta, chia, manga, abacaxi, banana, maracujá, limão e laranja.
A lista não tem apenas legumes, frutas e verduras, reparou? Li bastante sobre as propriedades da chia e resolvi incluir ela no meu dia-a-dia. Alho poró, salsa, cebolinha e pimenta, entraram porque adoro temperos. Aliás, eles que me fizeram me aproximar mais das saladas, afinal, por que não dar um gostinho todo especial nas verduras e legumes?
A partir dessa lista, determinei qual seria a frequência de cada prato na semana: salada duas vezes ao dia (no almoço e no jantar) e as frutas pelo menos duas porções ou na forma de suco, de preferência entre as refeições ou como sobremesa.
Com essa lista no papel ou em mente, basta entrar no site da Hortie, selecionar as quantidades para uma semana e realizar o pedido. O cardápio deu certo? Então sua vida já vai ficar bem mais fácil: é só repetir o pedido na próxima semana. Quer fazer alguma modificação? Ao repetir o pedido você tem a opção de alterar os itens dele. Fácil, não acha? Com a Hortie você elimina seu principal limitante: o tempo.

3) Aprender a cozinhar não é impossível

cozinhando-ovo-hortie.jpgAqui é algo fundamental e, melhor ainda, prazeiroso. Como a maioria dos ingredientes de uma salada são consumidos crus, não há muito segredo. Porém, você pode incrementar um pouco para consumir os mesmos alimentos de maneiras diferentes.
A beterraba, por exemplo, pode ser consumida crua e ralada ou cozida. A batata doce, a abóbora paulista e a mandioquinha podem ser consumida cozidas, assadas ou como purê. E a lista continua…
Além de ter mais opções de consumo, você também se envolve mais com seu alimento. Ao preparar eles e depois montar aquele prato lindo e colorido, você acaba dando mais atenção ao que está comendo e torna sua alimentação muito mais consciente. Isso tudo sem contar que a criatividade aflora e logo você começa a pesquisar por receitas e mais alternativas para seus legumes e verduras.
Contudo, se você não tem tempo e não quer usar seu final de semana para preparar parte de seus pratos para os dias úteis, uma opção muito bacana é contratar uma cozinheira. Conheço algumas amigas que compram todos os ingredientes na Hortie e contratam uma cozinheira para preparar as refeições para a semana ou quinzena. É uma alternativa muito bacana porque você pode definir o cardápio junto com ela ou passar o menu selecionado por sua nutricionista. E olha, o preço não é tão caro quanto parece não, viu. Geralmente as cozinheiras vão até sua casa e fazem todos os pratos para o período selecionado. Parte dos pratos fica no congelador e outra parte na geladeira, assim você consegue se programar de uma maneira ainda melhor, sem abrir mão do precioso tempo.

4) Estenda seus hábitos saudáveis para seu trabalho

Convenhamos: de nada adianta comer de forma extremamente saudável em casa e na hora do almoço no trabalho se jogar nas junk foods, concorda?
Embora não seja necessário abolir essas comidas mais gordurosas (a menos que haja uma orientação médica), é importante ter em mente que de nada vai adiantar pensar nos seus hábitos alimentares como uma balança ou uma compensação: “Vou comer esse lanche, essa batata frita e o refrigerante agora e depois faço três refeições só com salada para compensar!” Não caia nessa, quem vive de compensação é a Receita Federal, não você.
A melhor alternativa é estender esses hábitos saudáveis para seu trabalho. Sabe aquelas marmiteiras, bentō e bolsas térmicas superestilosas que você vê no shopping? Então, por que não usá-las? Algumas mantém a temperatura dos alimentos por bastante tempo e, se sua empresa tem uma geladeira para os funcionários guardarem suas marmitas, seus problemas estão todos resolvidos: basta preparar as refeições da semana e ir levando, uma a uma, para continuar se alimentando de forma saudável também no trabalho.

5) Envolva a família e amigos na sua vida saudável

crianças-cozinha-hortiePor fim, e esse ponto não podia ficar de fora: envolva sua família. Já publicamos um texto aqui no blog sobre comensalidade. Nele, ressaltamos a importância da companhia tanto na hora das refeições, como também no preparo delas.
Se você tem filhos e gosta de cozinhar, traga eles para a cozinha. Manipular os alimentos é importante para que eles conheçam o que estão comendo. Ali é hora também de ensinar hábitos saudáveis e até a cozinhar. Lembro que, embora eu não consumisse muita salada quando criança e adolescente, eu sempre estava ali na cozinha olhando e aprendendo com minha mãe ou até minhas avós. Claro que eu não aprendi a fazer todos os pratos que sei hoje, mas foi um aprendizado incrível que me preparou para morar sozinho e em outras cidades.
Além disso, envolver a família, ou até os amigos, na preparação dos alimentos e/ou juntar todos na mesa para as refeições resultam em momentos de união, de boas conversas e uma ótima interação para manter esses laços tão importantes para nós.
E aí, se animou para adotar uma rotina mais saudável? Não custa reforçar: você pode até tentar melhorar sua alimentação sozinha(o), mas sempre procure a ajuda de um profissional (médico ou nutricionista) para entender melhor quais são as necessidades de seu corpo.
Fonte
Alimentação e nutrição no Brasil (2009), uma publicação do Ministério da Educação.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s