Produtos desenvolvidos por uma “mãe cientista”, agora na Hortie

2 comentários

Com um sabor natural incrível e uma opção bem diferente de consumir grãos e sementes, a Hortie acrescentou em seu catálogo os produtos da Kurumí. A parceria trouxe para o site quatro opções de frutas desidratadas (abacaxi, banana, maçã e manga) e três de granolas salgadas (com amendoim, com soja e com amêndoas). Não, você não leu errado: é granola salgada, mesmo, uma opção não muito fácil de se encontrar no mercado, mas agora disponível para os clientes Hortie!

A Kurumí, uma empresa de Indaiatuba, foi criada pela doutora em Ciência dos Alimentos, Ana Paula Gil Cruz. Fruto de uma trajetória acadêmica toda focada na pesquisa de alimentos e suas possibilidades, as frutas desidratadas e as granolas salgadas, apesar de todo conhecimento agregado, guardam a “simplicidade da época de nossas avós, uma coisa mais da terra, mais raiz”, como conta Ana. Ela ainda complementa:

“O grande diferencial de nosso produto é realmente a fruta porque não colocamos nenhum tipo de conservante químico, algo que eu busco oferecer para os consumidores e que eu acredito e consumo também. São produtos artesanais, 100% fruta e que primam por essa ‘saudabilidade gostosa’ e têm o objetivo de levar sabor e saúde para os consumidores.”

Então você não gosta de salada???

Granolas Salgadas Kurumi - Hortie.jpgApesar do foco nas frutas, as granolas salgadas entraram para o catálogo da Kurumí (e agora da Hortie, claro) após Ana experimentar uma opção do produto trazido por uma amiga. Ela gostou da ideia, mas não encontrou mais no mercado quando tentou procurar. Além disso, criar as Granolas Salgadas Kurumí também contou com um toque de estratégia materna:

“A salada, em casa, é um mito: as pessoas não comem muito, a não ser eu mesma! Então foi uma forma de levar crocância, sabor e deixar a salada um pouco mais palatável para aqueles que não gostam muito das saladas puras”.

Além de tornar esse prato mais interessante, as granolas salgadas da Kurumi ainda contam com fibras e sementes que têm aminoácidos essenciais, como a chia, e a atividade antioxidante do gergelim. ”A formulação é bem rica e pensada no sentido de levar o sabor e funcionalidade de alimentos naturalmente saudáveis, sem adição de conservantes químicos artificiais”, explica Ana.

Produtos de uma mãe cientista

Cinco anos antes de se mudar para Indaiatuba (interior de São Paulo), a filha mais nova de Ana foi diagnosticada com resistência insulínica. O organismo da então pré-adolescente produzia muita insulina, mas uma insulina deficiente. “Naquele momento eu percebi que havia poucas opções saudáveis no mercado e aquilo ficou marcado na lembrança. Assim, quando a gente se mudou e estava pesquisando uma área para empreender, foquei em trabalhar com alimentos saudáveis, funcionais e que trariam os benefícios de um alimento saudável sem perder o sabor. A ideia era que esses produtos fossem realmente incorporados no hábito alimentar e não apenas uma dieta mirabolante”, conta a proprietária da Kurumi.

Focada no sabor e nos benefícios de alimentos funcionais, além de contar com a bagagem acadêmica na Embrapa, na UFRJ e na Unesp, Ana resolveu apostar nas frutas desidratadas. Segundo ela, a desidratação seria uma forma de manter o sabor das frutas, além de ser uma maneira viável para aquele momento inicial do investimento da empresa. O processo escolhido para a desidratação também veio da universidade, embora de um outro pesquisador. Ela nos contou que, enquanto fazia suas pesquisas de mercado para criar a Kurumí, conheceu um profissional que havia desenvolvido um instrumento próprio para a desidratação e que tinha diferenciais muito convidativos.

Uma profissional focada em alimentos

Natural São José do Rio Preto, Ana Paula Gil Cruz, doutora em Ciências de Alimentos pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), tem uma trajetória toda focada na área de nutrição e alimentos. Sem dúvida podemos dizer que a Kurumi e seus produtos surgiram depois de muito estudo: Na graduação ela fez Farmácia Bioquímica na Unesp e desde essa primeira experiência acadêmica já optou pela área de Alimentos , uma das modalidades oferecida pelo curso da universidade.

No mestrado, feito na UFRJ e na Embrapa Agroindústria de Alimentos, Ana Paula trabalhou em um projeto que envolvia outros países latino americanos e europeus. Sua dissertação foi focada nos efeitos da microfiltração do açaí sobre as propriedades funcionais da fruta. Já no doutorado, desenvolvido nas mesmas instituições, foi a vez de estudar o aproveitamento do resíduo da uva, especificamente o bagaço, para a obtenção de extratos ricos em compostos com capacidade antioxidante.

Depois do doutorado trabalhou como pesquisadora em outros projetos na área de biotecnologia, no laboratório Bioetanol da UFRJ e no laboratório de Bioprocessos da Embrapa. Nesta experiência, Ana atuou com o etanol de segunda geração, aquele que é obtido a partir de resíduos de sabugo de milho, palha e bagaço da cana de açúcar e até de poda de árvore, além de trabalho com o efluente do óleo de dendê (conhecido como pome).

Conheça os produtos da Kurumí no site da Hortie!

2 comentários em “Produtos desenvolvidos por uma “mãe cientista”, agora na Hortie”

  1. Parabéns Ana pela coragem de ser uma empreendedora na área de prudutos saudáveis.
    Está área precisa de pessoas com talento, integridade e ética, coisas que extravasam na sua conduta como ser humano.
    Conte conosco e com a UFRJ, no que for possível para tornar seus belos sonhos em realidade.

    Curtir

Deixe uma resposta para María Victoria Escobar Cancelar resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s